Presença Global

Plataforma Disponível 24/7

+56 2 2405 4555

evalart@evalart.com

Cultura Orientada por Dados

Share with:


Ao longo dos anos, a prática da análise de dados tem sido promovida em diferentes áreas da organização, tais como finanças, marketing, e numa área que vem se tornando cada vez mais importante, os recursos humanos. Esta transição enfrentada por algumas empresas refere-se à como estas adotam uma abordagem baseada em dados e ancoram as suas necessidades diárias de gestão utilizando a quantidade infinita de dados que o seu negócio pode produzir.

 

O conceito de “cultura orientada a dados” é relativamente novo e inovador e de grande relevância para as organizações de hoje. As empresas desenvolvem as suas diferentes estratégias comerciais e administrativas através da aplicação de dados. Tudo isto por meio de um ambiente de trabalho coerente e estruturado que permite a tomada de decisões através de evidências de dados, e deixando de lado o “instinto”, fator muito prejudicial no desenvolvimento das organizações em determinados momentos.

 

Os dados são um ativo muito importante e podem oferecer às empresas o poder de organizar, operar, prever e criar valor. Isto exige que a prática seja incorporada na cultura organizacional e que se torne o meio e a alternativa para resolver problemas, tomar decisões e atuar em diferentes cenários que possam surgir no avanço contínuo das empresas.

 

Como é evidente, há muitos benefícios na incorporação de uma cultura baseada em dados, mas a sua concretização leva tempo, energia, recursos e, acima de tudo, disciplina. Estas transições culturais exigem um grande esforço de todos os envolvidos, pois sinalizam uma mudança dramática na forma e direção que cada organização está tomando.

 

Para se fazer tal mudança, a necessidade de transformar a gestão para o uso de dados deve ser manifestada e evidenciada. É importante questionar como a organização tem sido gerenciada e como as decisões estão sendo tomadas em cada área envolvida.

 

Por outro lado, a iniciativa para esse processo deve ser apoiada e conduzida por líderes formais e informais dentro da empresa. Identificar os dados existentes, quem é responsável pela gestão desta informação, o nível atual de habilidades analíticas, e as tecnologias de que dispõem. Fazer um diagnóstico da situação atual e reconhecer o objetivo que irão trabalhar, estabelecendo as lacunas a cobrir.

 

É importante trabalhar duro no desenvolvimento das habilidades analíticas, porque se as pessoas não souberem trabalhar com dados, a organização está em apuros. Para superá-los, é pertinente exercer e treinar em técnicas básicas de gestão de dados, técnicas de exploração e explotação, além de conhecimentos estatísticos básicos/intermédios aplicados à gestão diária.

 

Em suma, é possível começar a construir uma equipe orientada por dados, promovendo o seguinte:

 

Incentivar o uso de dados: Os funcionários devem saber o valor do uso de dados explicitamente e não devem ter restrições para acessá-los.

 

Encorajar a experimentação: Os líderes organizacionais devem pressionar os seus empregados a incorporar os dados nas suas decisões cotidianas, para que se familiarizem em como utilizá-los e perceberem sua relevância.

 

Educação no uso de dados: A equipe deve ser treinada sobre como utilizar as ferramentas disponíveis para acessar os dados e interpretar os resultados.

 

Incentivar o pensamento crítico: A organização deve criar um ambiente que encoraje o questionamento, desconfie da intuição, e exiba um nível saudável de ceticismo, mas claro, celebre o pensamento crítico, a curiosidade, e o desejo mais profundo de questionar tudo.

 

A transição para uma cultura orientada a dados pode ser um desafio que exige mudanças organizacionais drásticas. Os dados de que temos não são apenas o resultado da gestão de uma determinada área, mas são fornecidos pelos produtos e interação de diferentes equipas de trabalho.

 

A utilização de dados para tomar decisões exige que desenvolvamos uma compreensão profunda da organização. É este conhecimento que nos permite extrair os dados corretos com base nas necessidades e prioridades do negócio, analisá-los e escolher o plano de ação mais adequado. É assim que os dados nos levam a decisões informadas que podem ajudar a evitar erros baseados em experiências passadas, identificar tendências e mesmo prever fenômenos.

 

Em resumo, a tomada de decisões baseada em dados nos obriga a trabalhar com uma abordagem científica: construir uma hipótese, procurar evidências (dados) para tentar refutá-la, e tirar conclusões válidas. Pode significar alcançar resultados antes inimagináveis ou perceber que o que acha ser correto pode ter alternativas melhores com melhores resultados para a sua empresa.